AURICULOTERAPIA

O que é?

É a terapia que estuda o pavilhão auricular para tratar os diversos distúrbios emocionais, físicos ou mentais.

Esse tratamento milenar teve sua origem na China, através da Acupuntura.

A eficácia comprovada é devida não somente à relação desse tratamento com a Fisiologia Energética, mas também pelo fato da área auricular ser muito rica em nervos e ter muitas ligações com o sistema nervoso central.

O Dr. P.M.F. Nogier correlacionou o pavilhão auricular à figura de um feto. Para que isso seja percebido basta olhar a imagem de sua própria orelha refletida no espelho ou então para a orelha de outra pessoa. Você irá reparar que o lóbulo, na parte de baixo da orelha, tem o formato de um feto e o formato da parte superior do pavilhão auricular assemelha-se aos pés e aos braços de um ser humano em posição fetal. Por esse motivo, cada parte do corpo tem uma área correspondente na orelha.

Essa correlação é percebida, por exemplo, quando tocamos uma determinada região da orelha de uma pessoa que sofre de algum distúrbio fisiológico ou energético:
essa pessoa sentirá incômodo no momento do toque.

Foi associando os princípios da Auriculoterapia Chinesa e seus estudos que Dr. Nogier elaborou a Auriculomedicina.

A massagem, a cauterização ou puntura de pontos especiais na orelha refletir-se-á no órgão correspondente afetado, proporcionando o equilíbrio energético necessário.

Indicação:

Paralelamente aos tratamentos médicos tradicionais (alopáticos), podemos recorrer ao tratamento diferenciado de Auriculoterapia para diversos distúrbios de saúde.

Método:

Detectando desequilíbrios..

Os assim chamados "pontos de acupuntura" possuem baixa resistência elétrica, o que possibilita a aparelhagens específicas, capazes de injetar uma corrente elétrica sutil, obterem a sua localização exata. Aí é que reside a grande vantagem da Auriculoterapia sobre a Acupuntura convencional: nesta última, os pontos serão localizados, quer sirvam para tratamento ou não; já no caso da orelha, só existirão pontos se eles estiverem desequilibrados, ou seja, com o correto uso de aparelhagem, ela própria acaba por realizar a avaliação de quais os desequilíbrios existentes. Outros modos de se detectar os desequilíbrios: procure na orelha regiões descamadas, feridas ou com espinha, pois isto não ocorre por acaso. Observe os Mapas Auriculares e verá que suas localizações correspondem às partes corpóreas afetadas. Mais uma dica: quando houver dor no físico, igualmente haverá na região auricular correspondente. Portanto, basta palpar o pavilhão auricular com o dedo ou com um bastonete que, onde doer significa que igual sensação está ocorrendo na zona do corpo que lhe é reflexa.


MAPA DA ORELHA